Gongo

Dentistas

4 desculpas de pacientes da ortodontia e como combatê-las

Na cena abaixo da série americana Dr. House, a paciente retorna ao consultório, pois o remédio que toma há várias semanas parece não funcionar. Com alguns questionamentos, o médico descobre que o tratamento não está acontecendo como deveria. Tenho certeza que cenas parecidas com essa são comuns nas clínicas odontológicas, principalmente quando o assunto é ortodontia.

A falta de comunicação pode ser uma grande vilã caso a relação com o paciente não seja pensada de forma clara e objetiva. Um tratamento que não foi compreendido provavelmente comprometerá o seu sucesso. Isso pode acarretar frustrações ao paciente e problemas futuros à clínica. Paciente engajado e bem informado faz toda a diferença no resultado!

Enquanto escrevia esse post, ouvi de alguns amigos o que achavam que fazia pacientes desistirem de um tratamento ortodôntico e, a partir disso, listei 4 desculpas e também dicas de como combatê-las.

1. “Dá muito trabalho cuidar do aparelho”

Adote uma fala clara e objetiva com o paciente. Muitas vezes, é por não entender o processo que o paciente acredita que o tratamento será chato. Todo processo de comunicação envolve mais de uma pessoa. O paciente chega com suas experiências e referências. Por isso, a tarefa do ortodontista de transmitir orientações de um modo simples para um “outro mundo” pode não ser tão simples quanto parece.

É preciso evitar o uso de jargões técnicos com pacientes. Nem sempre uma fala rebuscada por nomes do meio odontológico vai ajudar o paciente a chegar no objetivo. Para definir o discurso a ser adotado, é preciso orientar dentistas e equipes que levem em conta informações como a idade, escolaridade, assuntos de interesse do paciente e, principalmente, a imagem que a clínica está querendo passar na hora de formular suas orientações.

2. “Porque dói e tem que fazer manutenção todo mês”

A colaboração e conscientização dos pacientes nos tratamentos ortodônticos é muito importante. No entanto, é preciso que o paciente esteja munido de informações do começo ao fim. Oriente as equipes ortodônticas a utilizarem a primeira consulta para apresentar o tratamento e esclarecer fases, próximos passos e ressaltar sempre o quanto é importante a participação dele em casa e na clínica para a conquista do resultado.

Outra forma de ganhar atenção do paciente e, consequentemente, participação é demonstrando conhecimento do diagnóstico e opções diversas de tratamento, vantagens e as desvantagens de cada opção incluída: estimativa de tempo de tratamento, conforto, grau da necessidade de colaboração, influência estética dos aparelhos e custos de cada opção. É preciso motivá-lo a retornar e alcançar o resultado contigo.

3. “Sai muito caro colocar e cuidar do aparelho”

Seja transparente. Se você está em São Paulo, pode ter visto no metrô máquinas de venda de livros em que o usuário paga o quanto achar justo por eles. Não estou defendendo que o paciente pague o quanto quiser, mas sim que ele faça o investimento sabendo da experiência que vai ter no consultório.

Os tratamentos ortodônticos podem variar bastante de preço. Converse abertamente com seu paciente para que ele entenda tudo que envolve seu tratamento: estrutura operacional, conhecimento e reciclagem e atendimento ao cliente, entre outros. Ele vai valorizar mais os serviços quando souber tudo que é envolvido para atendê-lo melhor.

4. “Porque eu tenho que continuar indo ao dentista mesmo depois de retirar o aparelho”

É, não termina assim que retira o aparelho. O cuidado logo após o tratamento é fator primordial para o resultado final. O descuido nesse momento pode levar o paciente novamente para a cadeira do dentista.

Para evitar problemas como esse, oriente bem o paciente sobre manter bons hábitos de higiene bucal, usar as contenções corretamente e retornar regularmente ao ortodontista. Como ajudá-lo? O resultado depende muito do comprometimento do paciente com o tratamento. A clínica, pode, por exemplo, oferecer informação sobre cuidados bucais, enviar lembretes para próximas consultas e disponibilizar outras formas que facilitem o agendamento.

O Gongo é uma agenda inteligente para clínicas odontológicas e disponibiliza uma série de benefícios como lembretes para consultas posteriores e a oportunidade do paciente remarcar sua consulta, se necessário, fazendo isso pela página da clínica no Facebook ou em uma página de autoagendamento que é um espelho da sua agenda. Para usar esse serviço agora mesmo, crie uma conta e experimente. É gratuito.

Quais desculpas anda ouvindo? Compartilhe com a gente mais situações que já ouviu no consultório sobre tratamentos ortodônticos.